Sericaia, sericá ... trinco-te agora ou como-te já!!!!!!

Andamos muito alentejanos cá por casa :) e esta sobremesa conventual alentejana é especialmente apreciada pelos  meus filhos e pela minha mãe.
E onde arranjar uma ameixa de Elvas de qualidade? Daquelas que saem redondinhas e durinhas do frasco e nada murchas?!??!?!




Essa é a questão! Porque o resto vai já aqui em seguida:
O segredo da Sericaia é o ar que se tem de manter ao unir os dois cremes base que vamos fazer com um terceiro creme de claras em castelo e o truque ao dispor a massa no tabuleiro de forno que lhe confere as fendas características para que a temperatura alta do forno faça estalar o creme desencontrado e  retenha a humidade do creme final.




Vou usar:


Creme de farinha e leite:
- 1l de leite
- cascas de limão
- 2 paus de canela
- 140 gr. de farinha
- 1 pitada de sal refinado
Creme de ovos e açúcar:
- 12 gemas
- 400 gr. açúcar
Creme de claras:
-12 claras batidas em castelo firme
Cobertura:
- 6 colheres de sopa de canela em pó


Como?
Assim:
Começamos por preparar no creme de farinha.
Fervemos o leite com as cascas do limão e os paus de canela. Deixamos arrefecer. Mesmo. Tem mesmo de amornar.
Logo em seguida vamos dissolver a farinha a que juntámos uma pitada de sal, no leite já morno.  Vai ao lume para engrossar, retiramos do calor e ... mais uma vez deixamos arrefecer.


E enquanto o creme de farinha e leite arrefece, podemos começar a tratar do Creme de ovos. Numa tigela batemos com varas as gemas dos ovos com o açúcar até formar um creme fofo e esbranquiçado.

Com a mesma vara de arames vamos incorporar o creme de farinha -  arrefecido, volto a frisar - neste creme de ovos.

Por esta altura ligamos o forno a 220.ºC, por cerca de 10 minutos para o pré-aquecer. Estes 10 minutos equivalem ao tempo que vai demorar o que ainda falta fazer até ficar pronto para ir ao forno.

Por fim, batem-se as claras em castelo firme e adicionam-se com a vara de arames ao preparado anterior, com cuidado.

Com margarina vamos untar um prato grande de barro - típico - ou outra forma equivalente.
E agora, para que a massa "fenda" vai precisar de 2 coisas: não pode ser vertida porque ao verter-se dispõe-se numa mesma direção e calor forte.


A massa é posta no prato de forno, às colheradas em cruz, ie: sobrepostas e cruzadas, em direções desencontradas, portanto!
É como de estivéssemos a benzer o prato de forno com colheradas do preparado final!
Até imagino as freiras, em Elvas, a fazerem a iguaria!!!!!!!!!!!!!!!!!
Do calor forte já tratámos!


Polvilhamos com a canela em pó e levamos ao forno até começarem a aparecer fendas/rachas à superfície.

Serve-se fresca, no próprio dia, acompanhada de ameixa de Elvas.

As ameixas devem ser de boa qualidade porque o contraste que sentimos na boca quando mordemos uma ameixa durinha com o creme fofo e fresco, envolto em canela .... ohhhhh senhores!

E se a benzê-la a fiz; a benzer-me a vou comer.
Eu fui freira noutra vida.
Seguramente.



 

Comentários